Quem não precisa da geração elétrica nuclear?

 

 

Autor(es): Leonam S. Guimarães
Valor Econômico – 25/07/2012
O consumo per capita de eletricidade no Brasil é cerca de 2 mil quilowatt por ano (kWh/ano), abaixo do patamar de 4 mil kWh/ano que caracteriza o consumo mínimo dos países desenvolvidos, com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) igual ou superior a 0,9. Note-se que o IDH brasileiro é inferior a 0,8. Esse indicador nacional de 2 mil kWh/ano se encontra abaixo da média mundial e é inferior a menos da metade dos indicadores equivalentes para países que recentemente ascenderam ao nível de desenvolvido, como Portugal (4.500) e Espanha (5.600). Isso sem fazer comparações mais desfavoráveis, como Rússia (5.700), Coreia do Sul (6.400), França (7.200) e Japão (7.400). Por outro lado, quando se compara nosso indicador aos de China (1.300) e Índia (500), percebe-se a dimensão do desafio colocado a esses países, muito maior que o brasileiro.Propor que essa demanda reprimida venha a ser atendida exclusivamente pelas fontes renováveis, sazonais e afastadas dos centros de consumo, é miragem bem-intencionada ou política de manutenção do status quo. Tal política pode ser adequada a países desenvolvidos, mas não o é para os emergentes.

Não há competição entre fontes, mas uma complementaridade para expandir a oferta a um custo mínimo

O sistema elétrico brasileiro é único no mundo pelo seu alto percentual (85%) de contribuição da “velha renovável”, a hidroeletricidade (e sua inerente sazonalidade), alto grau de interligação (com grandes blocos de geração localizados longe dos centros de consumo) e dimensões continentais. Essas particularidades fazem com que seja indispensável associar ao parque renovável um parque térmico, fundamental para garantir a segurança de suprimento.

O papel da geração elétrica nuclear no Brasil é específico, não se sobrepondo ao papel nem da hidroeletricidade nem das “novas renováveis” (eólica, solar e biomassa) e nem mesmo dos combustíveis fósseis. Não há “competição” entre essas fontes, mas sim uma forte complementaridade no sentido de garantir a expansão da oferta com segurança de suprimento a mínimo custo.

No cenário de hoje, Angra 1 e Angra 2 contribuem para a gestão segura do risco hídrico do Sistema Interligado Nacional (SIN). O SIN vem requerendo mensalmente desde 2002 uma geração térmica mínima de 2 mil megawatt (MW) médios por mês, operando na base, além de mais 8.000 MW médios térmicos complementares no pico mensal de sua demanda.

O parque de geração térmica nacional, portanto, opera sob uma forte variação no seu fator capacidade demandado. Para fazer frente a essa variação a mínimo custo, torna-se necessário diversificar as fontes de geração térmica.

Isso requer combinar fontes de geração de baixo custo de investimento e de alto custo de combustível (gás natural, carvão, derivados de petróleo), para a parcela do parque que opera com fatores de capacidade inferiores a 75%, na complementação, com a alternativa nuclear, de alto custo de investimento e baixo custo de combustível para a parcela que opera com fatores de capacidade superiores, na base.

No horizonte 2020, essa contribuição se manterá com a operação de Angra 3, de forma a manter a principal componente da expansão da oferta baseada em novas hidrelétricas a fio d”água na Amazônia e na crescente geração eólica e de biomassa, fontes que sujeitam o SIN a sazonalidades mais acentuadas que as atuais e numa dinâmica mais rápida.

No horizonte 2035, essa contribuição térmica na base crescerá em importância, pois se somará ao contexto um potencial hidrelétrico cuja parcela técnica, econômica e socioambientalmente viável de ser aproveitada estará se esgotando (150-180 gigawatt – GW – de um total de 260 GW).

O que está em jogo ao nível global? Primeiramente, necessidades energéticas crescentes. A eficiência energética e as “novas renováveis” são um imperativo, mas elas não serão suficientes para atender à dinâmica da demanda com níveis de segurança de suprimento aceitáveis, em especial nos países ditos “emergentes”.

Em seguida, os riscos: os relatórios da OMS sobre Fukushima (de maio/ 2012) e Chernobyl (de abril/ 2011), mostram que consequências dos acidentes nucleares severos para a saúde das populações afetadas estão aquém da percepção social que tem moldado o “senso comum”. O acidente de Three Mile Island não causou vítima nem impacto ao meio ambiente.

Enfim, o clima: temos um limite para a emissão de CO2. A humanidade está chegando a esse limite. Limitar o reaquecimento do planeta a 2o C significa construir, cada ano, durante vinte anos, 100 GW de usinas sem emissões. Na França, onde o parque elétrico é mais de 90% hidráulico e nuclear, são emitidas menos de 7 toneladas de CO2 /habitante, contra mais de 11 toneladas na Dinamarca ou na Alemanha que contam com cerca de 50% de carvão.

Mudanças climáticas e proliferação de armas nucleares são os dois fatores que representam a maior ameaça à paz e à segurança internacional, senão à própria sobrevivência da civilização. Mas enquanto a ameaça das mudanças climáticas se coloca no longo prazo, as armas nucleares são uma ameaça que pode se concretizar a qualquer momento pelo uso proposital por países que as possuem, por terroristas que as desviem ou pela ocorrência de acidentes.

É impossível elaborar cenário para os próximos 50 anos no qual, juntamente com as renováveis, não haja uma participação da geração elétrica nuclear, conforme os cenários do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês). A alternativa a isso seria exaurir os combustíveis fósseis, aumentando a emissão de gases de efeito estufa, ou negar as aspirações de melhoria de qualidade de vida para bilhões de seres humanos que almejam efetiva inclusão social.

Infelizmente, esses aspectos nem mesmo foram debatidos na Rio+20. As gerações futuras nos cobrarão por essa omissão.

Leonam dos Santos Guimarães é engenheiro naval e nuclear com mestrado pela Universidade de Paris e doutorado pela Universidade de São Paulo. Atuou por 20 anos no Programa Nuclear da Marinha, tendo sido Coordenador do Programa de Propulsão Nuclear de 2001 a 2005. É assistente da presidência da Eletrobrás Eletronuclear e membro do grupo permanente de assessoria da Agência Internacional de Energia Atômica.

 

Operação de ciberespionagem coloca Irã na mira mais uma vez

Especialistas em segurança descobriram uma campanha de ciberespionagem que colocou o Irã e outros países do Oriente Médio como alvos. A nova ofensiva se destaca porque é a primeira operação já descoberta que usa ferramentas de comunicação escritas em persa.

A companhia israelense de segurança Seculert e a russa Kaspersky Lab disseram nesta terça-feira (17) que identificaram mais de 800 vítimas da operação. Os alvos incluem companhias que fornecem infraestrutura crítica, estudantes de engenharia, empresas de serviços financeiros e embaixadas localizadas em cinco países do Oriente Médio. A maioria das infecções foi descoberta no Irã. Continuar a lerOperação de ciberespionagem coloca Irã na mira mais uma vez

GM, crise do subprime, mercado europeu e trabalhadores brasileiros

Escrito Por Katiuscia Moreno Galhera Espósito

Mesmo após o atual Governo brasileiro reduzir o “Imposto Sobre Produtos Industrializados” (IPI) e prometer diminuir as “taxas patronais” sobre os vencimentos dos funcionários, a “General Motors” (GM) cogita a possibilidade de fechar a sua planta em “São José dos Campos”, no interior de São Paulo.

Não parece haver acordo entre trabalhadores e empresa. Os funcionários da GM realizaram uma paralisação de 24 em protesto*. Segundo eles, a empresa descumpriu o acordo com o Governo, que previa a manutenção de empregos em troca da redução do IPI.

A decisão da GM em revogar investimentos de R$ 710 milhões na fábrica de Joinville (SC), reflete a sua cutela na expansão da produção. Um dos grandes vilões seria o “mercado europeu”, ainda em recessão devido a crise originada na questão do subprime**.

——————————-

Fontes:

* Ver:

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,metalurgicos-param-producao-na-gm-de-sao-jose-dos-campos-por-24-horas-,119418,0.htm

** Ver:

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,gm-suspende-investimento-de-r-700-milhoes-em-joinville,119237,0.htm

Enhanced by Zemanta

MRE: Calendário de eventos do mês de julho de 2012

02/07/2012 -21/JUN a 27/AGO – Milão. Latinoamericando Festival Expo. (Fonte: Consulado-Geral do Brasil em Milão)

27/JUN a 1/JUL – Moscou. Fórum “Tecnologias de Engenharia 2012”. (Fonte: Embaixada do Brasil em Moscou)

1 e 2/JUL – Santa Marta, Colômbia. III Reunião da Parceria sobre Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (“REDD+ Partnership”) e oficina sobre financiamento de ações de REDD+. (Fonte: DCLIMA)

1 a 6/JUL – Cidade do Panamá. 64ª Reunião Anual Plenária da Comissão Internacional da Baleia (CIB). (Fonte:DMAE)

2/JUL – Brasília. Cerimônia de posse do novo Secretário Geral da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Embaixador Robby Ramlakhan. (Fonte: DAS II)

2/JUL – Frankfurt. Reunião Brasil-Alemanha sobre inovação, à margem do XXX Encontro Econômico Brasil-Alemanha. (Fonte: DCTEC)

2 e 3/JUL – Bridgetown. Conferência sobre Inovação e Competitividade de Barbados. (Fonte: DCTEC)

2 a 6/JUL – Pequim. Visita do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, à China. (Fonte: DCTEC)

2 a 6/JUL – Nova Delhi. 2ª Reunião do Comitê Intergovernamental para o Protocolo de Nagoia (ICNP-2). (Fonte: DEMA)

2 a 27/JUL – Nova York. Conferência das Nações Unidas para um Tratado sobre Comércio de Armas. (Fonte: DDS)

3 a 5/JUL – Olinda. II Fórum Internet do Brasil. (Fonte: DI)

4/JUL – Brasília. Videoconferência Unasul com especialistas de indicadores. (Fonte: DCTEC)

5 e 6/JUL – Hanói. Fórum Ministerial Vietnã-América Latina. (Fonte: SGAP-II)

6 e 7/JUL – Mafra. V Reunião de Ministros Responsáveis pela Juventude e pelo Desporto da CPLP. (Fonte: CGCPLP)

6 a 13/JUL – Bucareste. 11ª Conferência das Partes da Convenção de Ramsar sobre Zonas Úmidas (COP-11). (Fonte: DEMA)

7/JUL – Timor-Leste. Eleições parlamentares de Timor-Leste. Envio de observadores eleitorais brasileiros. (Fonte: SGAP-II)

7 a 22/JUL – Assunção. EXPO 2012 – Expoferia Int. de Ganaderias, Indústrias, Agricultura,Comércio y Servicios. (Fonte: DOC)

9/JUL – Brasília. Reunião na Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos (AMCHAM) sobre inovação. (Fonte: DCTEC)

9 e 10/JUL – Jacarta. ASEAN Latin Business Forum, com participação do Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel.
(Fonte: DINV)

9 a 11/JUL – Bonn, Alemanha. I Workshop sobre Financiamento no Longo Prazo. (Fonte: DCLIMA)

10/JUL – Brasília, Palácio do Itamaraty. Seminário “Lado a lado – A Construção da Paz no Oriente Médio: Um Papel para as Diásporas”. (Fonte: FUNAG)

10 e 11/JUL – Santiago. Regional Innovation Conference: exploring the innovation opportunity. (Fonte: DCTEC)

11/JUL – Lisboa. Reunião Extraordinária do Conselho de Ministros das Relações Exteriores da CPLP. (Fonte: CGCPLP)

11 e 12/JUL – Brasília e São Paulo. Visita ao Brasil da Secretária de Segurança Interna dos EUA, Janet Napolitano. (Fonte: DEUC)

12 e 13/JUL – Pretória, África do Sul. XI Reunião do BASIC. (Fonte: DCLIMA)

12 e 13/JUL – Genebra. XXVI Reunião do Comitê Executivo do GEO. (Fonte: DMAE)

12 a 15/JUL – Ecaterinburgo, Rússia. INNOPROM – 2012 A Exposição Internacional dos Urais e Fórum de Indústria e Inovação. (Fonte: Embaixada do Brasil em Moscou)

12 a 14/JUL – Kuala Lumpur. International Food and Beverage Fair. (Fonte: DOC)

15 e 16/JUL – Adis Abeba. 19ª Reunião de Cúpula da União Africana. (Fonte: DEAF)

15 a 17/JUL – Berlim. III “Petersberg Climate Dialogue”. (Fonte: DCLIMA)

15 a 17/JUL – Joanesburgo. SAITEX-Africa´s Big Seven. (Fonte: DOC)

15 a 20/JUL – Brasília, Rio de Janeiro e São José dos Campos. Visita do Secretário da Defesa e do Desenvolvimento Urbano do Sri Lanka, Gothabaya Rajapaksa. (Fonte: SGAP-II)

16/JUL – Brasília/Bogotá. Videoconferência preparatória para a I Reunião da Comissão Mista Brasil-Colômbia de Ciência, Tecnologia e Inovação. (Fonte: DCTEC)

16/JUL – São Paulo. VI Reunião do Conselho Deliberativo do Fórum SBTVD. (Fonte: DCT)

16 a 20/JUL – Bangkok, Tailândia. 67ª Reunião do Comitê Executivo do Fundo Multilateral para a Implementação do Protocolo de Montreal (ExCom-67). (Fonte: DCLIMA)

16 a 27/JUL – Kingston, Jamaica. XVIII Sessão da Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos (ISBA). (Fonte:DMAE)

17 a 19/JUL – Cidade do Panamá. Conferência “Connect Americas”. (Fonte: DI)

17 a 22/JUL – Luanda. FILDA – Feira Internacional de Luanda. (Fonte: DOC)

18/JUL – Santiago. Reunião de Altos Funcionários Sul-americanos da ASPA. (Fonte: SGAP-II)

19/JUL – Maputo. XVII Reunião Ordinária do Conselho de Ministro das Relações Exteriores da CPLP. (Fonte: CGCPLP)

20/JUL – Maputo. IX Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da CPLP. (Fonte: CGCPLP)

20/JUL – São Paulo. Reunião do Comitê Gestor da Internet (CGI.br). (Fonte: DI)

22 a 25/JUL – City of Reading, EUA. Philadelphia Gift Show. (Fonte: DOC)

22 a 27/JUL – São Luís, MA, UFMA. “64ª Reunião Anual da SBPC – Feira de Livros”. (Fonte: FUNAG)

23 e 24/JUL – Buenos Aires. Visita do Secretário Executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antonio Elias, a Buenos Aires. (Fonte: DCTEC)

23 a 27/JUL – Genebra. 62ª Reunião do Comitê Permanente da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (CITES). (Fonte: DEMA)

23 a 27/JUL – Bangkok, Tailândia. 32ª Reunião do Grupo de Trabalho Aberto das Partes no Protocolo de Montreal sobre Substancias que Destroem a Camada de Ozônio (OEWG-32). (Fonte: DCLIMA)

23 a 27/JUL – Praia. Curso de Diplomacia Comercial ministrado pela DIC/DPR à Chancelaria de Cabo Verde. (Fonte: DIC)

23 a 27/JUL – Brasília. XXV Comitê de Negociações Birregionais Mercosul-União Europeia. (Fonte: DNC-II)

25 a 28/JUL – Londres. Visita da Senhora Presidenta da República ao Reino Unido. (Fonte: DE I)

26/JUL – Londres. Descerramento da Placa Comemorativa da Nova Chancelaria, Inauguração de Exposição do Ministério do Esporte no Espaço Cultural e Lançamento da nova campanha de Turismo da Embratur. (Fonte: CGCE)

26/JUL – Dublin. Concerto de piano do Duo Gisbranco, com as pianistas Bianca Gismonti e Claudia Castelo Branco, no Samuel Beckett Theatre, do Trinity College. (Fonte: Embaixada do Brasil em Dublin)

26/JUL – Inauguração da Casa Brasil na Sommerset House. (Fonte: CGCE)

27/JUL – Londres. Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de 2012. (Fonte: CGCE)

26 e 27/JUL – Washington. Reunião do Mecanismo Bilateral Brasil-EUA sobre espaço cibernético. (Fonte: DI)

30/JUL a 2/AGO – Brasília, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro. Visita do Ministro dos Transportes de Cingapura, Lui Tuck Yew. (Fonte: SGAP-II)

30/JUL a 10/AGO – Nova York. XXX Sessão da Comissão de Limites da Plataforma Continental. (Fonte:DMAE)

31/JUL – São Paulo. Reunião na Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos (AMCHAM) sobre diplomacia da inovação e sobre o Grupo de Trabalho Brasil-EUA em inovação. (Fonte: DCTEC)

31/JUL – Buenos Aires. Visita do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, à Argentina. (Fonte: DCTEC)

31/JUL – Reunião Extraordinária do Conselho do Mercado Comum do MERCOSUL.

31/JUL – São Paulo. “Seminário Internacional sobre os BRICS” a ser realizado na FIESP. (Fonte: FUNAG)

31/JUL a 2/AGO – Nova York. Accessories the Show. (Fonte: DOC)

***

21/JUN a 27/AGO – Milán. Latinoamericando Festival Expo. (Fuente: Consulado General de Brasil en Milán)

27/JUN a 1/JUL – Moscú. Foro “Tecnologías de Ingeniería 2012”. (Fuente: Embajada del Brasil en Moscú)

1 e 2/JUL – Santa Marta, Colombia. III Reunión de la Asociación sobre Reducción de Emisiones por la Deforestación y la Degradación  de los Bosques (“REDD+ Partnership”) y taller sobre financiación de acciones del REDD+. (Fuente: DCLIMA)

1 a 6/JUL – Ciudad de Panamá. 64ª Reunión Anual Plenaria de la Comisión Ballenera Internacional (CBI). (Fuente: DMAE)

2/JUL – Brasilia. Ceremonia de posesión del nuevo Secretario General de la Organización del Tratado de Cooperación Amazónica (OTCA), Embajador Robby Ramlakhan. (Fuente: DAS II)

2/JUL – Frankfurt. Reunión Brasil-Alemania sobre innovación, al margen del XXX Encuentro Económico Brasil-Alemania. (Fuente: DCTEC)

2 y 3/JUL – Bridgetown. Conferencia sobre Innovación y Competitividad de Barbados. (Fuente: DCTEC)

2 a 6/JUL – Pekín. Visita del Ministro de Ciencia, Tecnología e Innovación, Marco Antonio Raupp, a China. (Fuente: DCTEC)

2 a 6/JUL – Nueva Delhi. 2ª Reunión del Comité Intergubernamental sobre el Protocolo de Nagoya (ICNP-2). (Fuente: DEMA)

2 a 27/JUL – Nueva York. Conferencia de las Naciones Unidas sobre el Tratado de Comercio de Armas. (Fuente: DDS)

3 a 5/JUL – Olinda. II Foro Internet de Brasil. (Fuente: DI)

4/JUL – Brasilia. Videoconferencia UNASUR con especialistas de indicadores. (Fuente: DCTEC)

5 y 6/JUL – Hanói. Foro Ministerial Vietnam-América Latina. (Fuente: SGAP-II)

6 y 7/JUL – Mafra. V Reunión de Ministros Responsables de la Juventud y del Deporte de la CPLP. (Fuente: CGCPLP)

6 a 13/JUL – Bucarest. 11ª Conferencia de las Partes de la Convención de Ramsar sobre Zonas Húmedas (COP-11). (Fuente: DEMA)

7/JUL – Timor Oriental. Elecciones parlamentarias de Timor Oriental. Envío de observadores electorales brasileños. (Fuente: SGAP-II)

7 a 22/JUL – Asunción. EXPO 2012 – Expoferia Int. de Ganaderías, Industrias, Agricultura, Comercio y Servicios. (Fuente: DOC)

9/JUL – Brasilia. Reunión en la Cámara Americana de Comercio Brasil-Estados Unidos (AMCHAM) sobre innovación. (Fuente: DCTEC)

9 y 10/JUL – Yakarta. ASEAN Latin Business Forum, con participación del Ministro de Desarrollo, Industria y Comercio Exterior, Fernando Pimentel. (Fuente: DINV)

9 a 11/JUL – Bonn, Alemania. I Workshop sobre Financiación en el Largo Plazo. (Fuente: DCLIMA)

10/JUL – Brasilia, Palacio del Itamaraty. Seminario “Lado a lado – La Construcción de la Paz en Oriente Medio: Un Rol para las Diásporas”. (Fuente: FUNAG)

10 y 11/JUL – Santiago. Regional Innovation Conference: exploring the innovation opportunity. (Fuente: DCTEC)

11/JUL – Lisboa. Reunión Extraordinaria del Consejo de Ministros de Relaciones Exteriores de la CPLP. (Fuente: CGCPLP)

12 y 13/JUL – Pretoria, Sudáfrica. XI Reunión del BASIC. (Fuente: DCLIMA)

12 y 13/JUL – Ginebra. XXVI Reunión del Comité Ejecutivo del GEO. (Fuente: DMAE)

12 a 15/JUL – Ekaterimburgo, Rusia. INNOPROM – 2012 La Exposición Internacional de los Urales y Foro de Industria e Innovación. (Fuente: Embajada del Brasil en Moscú)

12 a 14/JUL – Kuala Lumpur. International Food and Beverage Fair. (Fuente: DOC)

15 a 17/JUL – Berlín. III “Petersberg Climate Dialogue”. (Fuente: DCLIMA)

15 a 17/JUL – Johannesburgo. SAITEX-Africa´s Big Seven. (Fuente: DOC)

15 a 20/JUL – Brasilia, Río de Janeiro y São José dos Campos. Visita del Secretario de Defensa y de Desarrollo Urbano de Sri Lanka, Gothabaya Rajapaksa. (Fuente: SGAP-II)

16/JUL – Brasilia/Bogotá. Videoconferencia preparatoria para la I Reunión de la Comisión Mixta Brasil-Colombia de Ciencia, Tecnología e Innovación. (Fuente: DCTEC)

16/JUL – São Paulo. VI Reunión del Consejo Deliberativo del Foro SBTVD. (Fuente: DCT)

16 a 20/JUL – Bangkok, Tailandia. 67ª Reunión del Comité Ejecutivo del Fondo Multilateral para la Implementación del Protocolo de Montreal (ExCom-67). (Fuente: DCLIMA)

16 a 27/JUL – Kingston, Jamaica. XVIII Sesión de la Autoridad Internacional de los Fondos Marinos (ISBA). (Fuente: DMAE)

17 a 19/JUL – Ciudad de Panamá. Conferencia “Connect Americas”. (Fuente: DI)

17 a 22/JUL – Luanda. FILDA – Feria Internacional de Luanda. (Fuente: DOC)

18/JUL – Santiago. Reunión de Altos Funcionarios Sudamericanos de la ASPA. (Fuente: SGAP-II)

19/JUL – Maputo. XVII Reunión Ordinaria del Consejo de Ministros de Relaciones Exteriores de la CPLP. (Fuente: CGCPLP)

20/JUL – Maputo. IX Cumbre de Jefes de Estado y de Gobierno de la CPLP. (Fuente: CGCPLP)

20/JUL – São Paulo. Reunión del Comité Gestor de Internet (CGI.br). (Fuente: DI)

22 a 25/JUL – City of Reading, EUA. Philadelphia Gift Show. (Fuente: DOC)

22 a 27/JUL – São Luís, MA, UFMA. “64ª Reunión Anual de la SBPC – Feria de Libros”. (Fuente: FUNAG)

23 y 24/JUL – Buenos Aires. Visita del Secretario Ejecutivo del Ministerio de Ciencia, Tecnología e Innovación, Luiz Antonio Elias, a Buenos Aires. (Fuente: DCTEC)

23 a 27/JUL – Ginebra. 62ª Reunión del Comité Permanente de Convención sobre el Comercio Internacional de Especies de la Flora y Fauna Salvajes en Peligro de Extinción (CITES). (Fuente: DEMA)

23 a 27/JUL – Bangkok, Tailandia. 32ª Reunión del Grupo de Trabajo Abierto de las Partes en el Protocolo de Montreal relativo a las Sustancias que Agotan la Capa de Ozono (OEWG-32). (Fuente: DCLIMA)

23 a 27/JUL – Praia. Curso de Diplomacia Comercial ministrado por la DIC/DPR a la Cancillería de Cabo Verde. (Fuente: DIC)

23 a 27/JUL – Brasilia. XXV Comité de Negociaciones Birregionales Mercosur-Unión Europea. (Fuente: DNC-II)

26 y 27/JUL – Washington. Reunión del Mecanismo Bilateral Brasil-EUA sobre espacio cibernético. (Fuente: DI)

30/JUL a 2/AGO – Brasilia, Curitiba, São Paulo y Río de Janeiro. Visita del Ministro de Transporte de Singapur, Lui Tuck Yew. (Fuente: SGAP-II)

30/JUL a 10/AGO – Nueva York. XXX Sesión de la Comisión de Límites de la Plataforma Continental. (Fuente: DMAE)

31/JUL – São Paulo. Reunión en la Cámara Americana de Comercio Brasil-Estados Unidos (AMCHAM) sobre diplomacia de la innovación y sobre el Grupo de Trabajo Brasil-EUA en innovación. (Fuente: DCTEC)

31/JUL – Buenos Aires. Visita del Ministro de Ciencia, Tecnología e Innovación, Marco Antonio Raupp, a la Argentina. (Fuente: DCTEC)

31/JUL – São Paulo. “Seminario Internacional sobre los BRICS” a ser realizado en la FIESP. (Fuente: FUNAG)

31/JUL a 2/AGO – Nueva York. Accessories the Show. (Fuente: DOC)

Fonte: MRE

“Tomei quatro gols, mas salvei onze vidas”

Desde o momento em que Mussolini alcançou o poder na Itália, em 1922, o “Estado Fascista” montado no país fez uso de toda a força que o espetáculo esportivo pode ter em uma sociedade, sendo usado como máquina de propaganda política e forma de legitimar a ordem vigente. Além do mais, a “cultura ao físico” e “às conquistas esportivas”, de maneira a consolidar uma ideologia guerreira, foram alguns dos valores mais fortes dos “Estados Totalitários” do início do “Século XX”. Continuar a ler“Tomei quatro gols, mas salvei onze vidas”